nov

Expansão | mês 11, o que nos traz Novembro!

Novembro, mês de expansão assumindo a nossa plenitude na arte de criar o que queremos Ser.

Este mês é favorável, elevar a nossa consciência ao perceber que o primeiro nível de criação passa pelos nossos pensamentos, e depois pelas nossas emoções que resultam o quadro da nossa vida. Este fluxo de energia que somos diz-nos que é tempo de assumir a responsabilidade por tudo o que co-criamos… e de assumir em consciência que a nossa mente divina que tudo É, é capaz de criar a realidade que quisermos.

Neste ano universal, de novos inícios e mudanças em que existe um alinhamento entre todos os elementos que nos constituem, a terra, o fogo, o ar e a água, cria-se um momento perfeito para termos e darmos mais consciência e sabedoria às nossas ações, alinhadas com a nossa mestria… sim! Todos somos mestres com dons e potenciais únicos, que se tornam divinos quando ajudamos a construir um mundo melhor.

Assim, este mês de novembro pede-nos expansão, abertura à vida, alegria, leveza e criatividade, em ligação com a Mãe Terra que nos sustenta e com o Pai Céu que nos orienta. E, acima de tudo que tenhamos consciência que somos uma rede, que em Amor com o outro somos mais e melhores, e que em evolução individual, o coletivo evolui.

Acredita em Ti, sente que és único e que tens algo a oferecer ao mundo, e de mãos dadas com o outro, veremos um mundo Novo acontecer diante dos nossos olhos!

Por: Helena Sousa | Contacto: https://www.facebook.com/Centelha-Mágica

22050609_10155275205014191_2099844487_o (1)

Religião vs Espiritualidade | O que é a Espiritualidade?

Tema controverso e de alguma complexidade para estabelecer a relação ou explicação entre este dois conceito. Antes de mais gostava de reforçar que a minha visão é profundamente experiencial, que isto dizer que escrevo sobre o que sinto e como sinto, portanto, poderá esta vivência estar limitada ao conhecimento ou sentir que tenho no momento presente.

Diz Eckhart Tolle no seu livro O Despertar de uma Nova Consciência: “Muitas pessoas já reconhecem a diferença entre espiritualidade e religião. Elas compreendem que ter um sistema de crenças – um conjunto de pensamentos entendido como a verdade absoluta – não torna ninguém espiritualizado, não importa qual seja a natureza dessas convicções. Na realidade, quanto mais um individuo faz dos seus pensamentos (crenças) a sua identidade, mais se distancia da dimensão espiritual que existe dentro de si.

A espiritualidade não é algo que alguém te dê, seja ele um Mestre, um Guru, um Deus, uma Força, entre outras palavras que poderíamos utilizar para descrever este sentir. A espiritualidade, é um sentir que nos liga a uma parte de nós onde reside o indescritível, à tua essência, não é um lugar físico, não é algo que a tua mente seja capaz de controlar ou criar. Este sentir conecta-te a um vazio interior, sabes, aquela conexão que se estabelece quando sentes que aquilo faz parte de ti, esse estado interior é a tua espiritualidade a manifestar-se. Na espiritualidade, não há verdades absolutas, somos todos um, na espiritualidade não há regras, nem limitações, neste lugar existe a fonte de tudo, de todos, do todo. E não se explica, sente-se, acontece… 

As diferentes religiões tem um conjunto de crenças que assumem como verdades, estão assim presas a uma forma de identidade que se manifesta inconscientemente nas pessoas que as seguem. Por isso, qualquer pessoa que pense diferente está errada, para as religiões a sua verdade tem que ser seguida. No entanto, uma “nova espiritualidade, a transformação da consciência, está a surgir em grande parte das estruturas das religiões institucionalizadas.” Comentava Tolle. Isto acontece porque a espiritualidade começa a manifestar-se em grande parte fora destas estruturas e nasce com ela a necessidades das religiões acompanharem os tempos. Seguia o autor: “Algumas Igrejas e seitas, assim como determinados cultos ou movimentos religiosos são em essência entidades egóicas coletivas, uma vez que se identificam rigidamente com as suas convicções mentais.”

Ou seja, a espiritualidade está além do que a nossa mente pode alcançar, surge quando uma pessoa percebe que ela não é aquela “voz dentro da sua cabeça”. Quando essa voz se cala aparece a consciência da nossa essência e nela que vive a nossa espiritualidade.

Se queres aprofundar sobre estes temas, sugiro-te que te inscrevas no novo ciclo de conferencias da Casa das Artes do Porto, dia 21 de Outubro, vamos estar por lá com temas fantásticos. Deixo-te aqui o link para que possas saber mais.

Por: Vera Cristina Ribeiro

people-2603522_1920

Ardhanarishvara | O Feminino e o Masculino, um ser único!

Ardhanarishvara representa a síntese perfeita do ser e a fusão de formas masculinas e femininas, incorporando Prakriti e Purusha, considerando as energias femininas e masculinas do cosmos e também se manifesta como Shakti o Sagrado Feminino, e Shiva, o princípio masculino.

Ardhanarishvara indica também que “a totalidade está além da dualidade” e que a natureza humana é essencialmente igual às duas energias a masculina e feminina. Falamos sempre destas duas energias como fazendo parte do ser como um todo sendo indivisível mas considerando sempre as duas partes iguais.

Purusha é hoje comumente entendida como “homem”, apesar de na filosofia samkhya este não ser o seu significado e Prakriti significa natureza ou criação. Numa designação do hoje considerando como Purusha é a fonte da criação pelo motivo que é Purusha o indutor que faz com que as coisas aconteçam. Mas tudo acontece quando Prakriti está em consonância com a sua existência ou quando ela está num estado de criação, permitindo assim que tudo se encaixasse e a criação apareça. Se um ser humano nasce, ou um animal nasce, ou um cosmos nasce, está a acontecer a mesma coisa, o que num entendimento humano se referencia como masculino ou masculino.

Considerando uma visão tradicional todo o ser humano surge por causa de um único acto, por causa da cópula, mas pode acontecer de qualquer maneira, pode acontecer de forma irresponsável, negligente, com força, com raiva, com ódio – não precisa necessariamente de acontecer através de um acto maravilhoso e de amor, mas de qualquer maneira a população vai aparecendo. Tudo o que acontece a seguir no útero é que não pode acontecer de qualquer maneira, tem que acontecer de uma maneira muito ordenada, carinhosa, pacificada e bonita, caso contrário, pode ser que tudo não funcione e que a vida por algum motivo não aconteça.

Então, quando olhamos para este processo que pode ser considerado como um acto mas que define a criação e que se  identifica como Purusha, mas o que faz com que tudo aconteça e que possa evoluir para a vida é designado por Prakriti ou natureza, sendo este o motivo que a natureza é representada como feminina A fusão desses dois opostos tem de coexistir na vida de cada um, e indica que para que o ser seja completo tem de coexistir numa estrutura mental, material e espiritual. Shiva e Shakti são inseparáveis ​​e interdependentes, o que indica que ambas as forças opostas são uma e a mesma e não podem ser consideradas como duas identidades individuais.

Geralmente numa cultura íconica a metade de Shakti ficada situada à esquerda do Ardhanarishvara e Shiva é mostrado no lado direito, também tradicionalmente a esposa está sentada à esquerda do marido. O lado direito está associado a traços masculinos e a um funcionamento cerebral com lógica, direcção e pensamento sistemático. O lado esquerdo (Vamabhaga) está relacionado com o coração, portanto, também está associado com as características femininas, tais como criatividade e a intuição. Mas estas duas forças também simbolizam a fertilidade o crescimento e a capacidade reprodutiva considerando estas forças supostamente opostas tornarem-se então não-dual, que no final se torna impossível diferenciar o masculino no feminino.

Muitas referências do Tantra Shastra consideram a forma hermafrodita do Ardhanarishvara como sua divindade tutelar, como representa a divina união entre os Prakriti e Purusha. Esta consciência do feminino que hoje a sociedade e mesmo as mulheres têm entendido a natureza feminina como fraqueza, em que as mulheres tentam e se enquadram nesta forma de vida mundial gerado pela economia. Tudo está a ser gerido e se enquadra como a lei da selva em que, o que sobrevive é o mais apto, mas que no final tudo é gerido de uma forma dominante e masculina (mesmo quando gerida pelo feminino). Escolhemos sempre o poder da conquista grosseira sobre as subtilezas do amor, da compaixão e do abraço da vida.

Ao nos analisarmos, podemos verificar que temos apenas masculino, mas no final o que vamos analisar é que no geral temos tudo, mas numa consideração mais específica é que não temos nada e que no final não conseguimos nesta sociedade nutrir o que é feminino. Basta analisar o que se passa nas escolas em que as disciplinas mais sensoriais como música, arte, filosofia e literatura são preteridas em detrimento das ciências e das tecnologias. Se esta alteração não for efectuada e não acontecer, não haverá espaço para o feminino no mundo, e ao mesmo tempo se não existir este equilíbrio entre masculino e feminino então vamos todos andar aos papéis, sem entender a nossa estrutura de vida e as nossas vidas irão ser muito incompletas e desequilibradas.

Para os mais aqui deixo o link do Mantra a Ardhanarishvara:

Fiquem felizes e procurem em vocês o lado feminino.

Por: Vítor José | Contacto: http://ayurveda-gdm.weebly.com/

centra-te

Conexão | Tu és a Verdade e a Palavra.

Observa. Tudo à tua volta reafirma a Vida. Agora e sempre.

A flor floresce, o verde é mais verde e o sol reafirma-se no prolongamento dos dias.

Sim, a natureza mostra todo o seu pulsar, de modo evidente e criativo. Dizemos então que tudo renasce.

E na folha que caiu e nutriu o chão? E no dia cinzento, frio e chuvoso? E no pássaro que voou o seu último voo?

Não havia renascimento? Não havia criatividade? Não havia vida? Não havia magia?

O ciclo apenas continua a sua dança cósmica. Tudo flui num ritmo natural no imenso ciclo da vida.

E é nesta vibração que te deixo o convite:

Sente-te.

Centra-te.
Quando é que estás verdadeiramente em ti?

Quando sentes o fluir do rio da tua vida?

Quando reconheces que podes deixar cair a folha e alimentar a tua terra ou fazer florir a tua flor? Ou deixar de voar? Sem opiniões ou validações? Quando permites fluir com o teu respirar? Ou fluir nas águas do teu ser – o teu sentir.

Tudo à tua volta te diz: “há ciclos que têm de se fechar”. Verdade. Mas, e se a essência for continuar? Respirar a transformação de um ciclo que continua e que não acaba, mas que se transmuta pela impermanência da vida. Afinal, não será a vida um ciclo uno, composto por sucessivas renovações, que se entrecruzam no sentir, te revelam o que há para curar e te fazem desvendar o teu Poder?

E quando usas o teu Poder? “Poder? Eu não tenho essa força” pensas tu. Como te permites acreditar que não és Poderoso?
Silencia então o ruído que te rodeia. Até aquele ruído que produzes para não te veres e ouvires. Sim, esse!

Não permitas ser influenciado por ruído. As flores caem e florescem no silêncio.

Permite-te respirar e viver em ti. É em ti que estão todas as respostas. Não as procures no exterior.

Ouve o teu silêncio. Tu és a Verdade e a Palavra.

Quando te lembras quem realmente és, quando te sentes em ti e te recolhes ao teu espaço sagrado, empoderas-te.

Mostra-te, então, disponível para sentir a vibração cósmica que te chega e que se expande de forma imensurável no teu coração.

Renasces assim num novo respirar, pois consciente do teu Poder Cósmico, desconstróis e libertas aquilo que te impede de aceder a ti mesmo e à sabedoria que te é ancestral.

Sente-te vivo e presente, tanto num pequeno grão de areia como na infinitude de uma galáxia. E dança!

Reconhece em ti a palavra do passado e do futuro e age, caminhando com firmeza e responsabilidade, aqui, no presente.

Renasce em ti, cocriando o milagre da Vida. E sente, sente como isso é maravilhoso!

Por: Helena Pereira | Contacto: https://www.facebook.com/lenadaponte7?fref=ts

20161223_154549

Padrões em sonhos | O que significam os nossos sonhos?

Uma das formas de comunicação mais utilizadas pelos anjos são os nossos sonhos, porque estamos fora do controlo, estamos a dormir e apesar de ainda podermos estar conscientes, a forma como controlamos a mensagem é bastante reduzida. Os anjos podem mostrar-nos nos sonhos as mais variadas tipologias de consciencialização, mas nos últimos tempos o que se sente mais é os sonhos para consciência dos padrões do inconsciente.

É uma bênção este tempo, pois mostram-nos pelos sonhos o que não compreendemos acordados, o que está em lopping na nossa mente inconsciente enquanto vivemos o nosso dia a dia. Muitas vezes criando experiências sem darmos por isso.   É uma maravilhosa bênção, pois compreendemos as criações pelo medo, as criações que nos trazem as experiências que conscientemente estamos a tentar manter longe de nós. Os Anjos ajudam-nos a Ser divinamente livres.

Quando experiênciamos estes sonhos, onde os medos estão em reflexão, é para agradecer, ao agradecer mudamos o registo em dois sentidos, primeiro aproximamo-nos dos nossos anjos, permitindo que eles existam sempre em manifestação para nós, agindo sempre para o bem maior da nossa aprendizagem, depois, mudamos a frequência de medo, para uma frequência de consciência. Em consciência a nossa existência e realização é verdadeiramente mais pura, mais tranquila e honrada. Os sonhos menos agradáveis, são muitas vezes formas amorosas de compreendermos o que estamos a criar e libertarmos essas estruturas da nossa vida. Como diz o Arcanjo Miguel: tudo é amor. Lembre-se disso!

Por: Filipa Fautino | omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

20170108_165132

Equinócio | Está na hora de renascer!

Para toda a energia angélica, o equinócio é sinal de mudança, de profunda conexão e profundo amor. Na vida, é energia do acordar, do confiar, do crescer apesar de tudo o que rodeia, de saber que todos os dias começamos de novo. O Equinócio traz-nos a energia do semear, semear o que queremos energicamente profundamente na terra, na matéria, na estrutura que em estamos e na estrutura que somos.

A verdade é que toda a estrutura de amor se vê um pouco por todo o lado: nas flores, na luz que entra na terra, na forma como toda a natureza acorda e se começa a mover, renascendo para a vida, novamente. Nós humanos em toda a nossa sacralidade, fomos esquecendo este ritmo, o ritmo da natureza, um ritmo ao qual a nossa mente consciente já não responde, mas ao qual o nosso inconsciente e corpo continuam suavemente, levemente, quase escondendo da mente consciente a fazer, a responder.

Então é o tempo de nós, enquanto Seres na experiência de olhar bem para dentro, para o nosso terreno interno, para as sementes e para a qualidade das sementes que queremos semear, que estamos já a semear. Os Anjos amorosos, relembram-nos que pudemos sempre contar com eles, com a sua força e com o seu amor, até com o seu discernimento, que nos traz clareza para olhar de frente e em amor para nós mesmos.

O equinócio traz a consciência da Luz do eu, da Luz que habita em nós, independentemente de tudo o que achamos que somos, da forma como vemos o mundo, é como se trouxesse à nossa mente e estrutura ancestral adormecida nas nossas células a consciência da nossa pertença à Luz, ao sagrado, a esta própria terra, à própria Natureza.

Todo o nosso sistema-matriz, entra numa profunda cerimonia de reconexão à natureza nesta altura, derrepente, tornamo-nos outra vez conscientes da beleza que nos rodeia e que faz parte integrante a todos os momentos da nossa existência de tudo o que somos, como se fosse a forma da natureza, da vida, da nossa estrutura angélica nos relembrar da magia do momento. Da magia da própria vida.

Com esta energia de começo, a forma como permitimos a ação dos nosso anjos, é muito mais clara e consciente. É como se a beleza que reconhecemos fora, nos desse autorização interna para durante alguns dias mergulharmos na nossa própria beleza de alma. Esta beleza é visível, é latente, é vivida em cada átomo da energia do momento presente.

Então permite-te entregar nesta cerimônia do eu, da vida, permite-te ser nutrido pelo caminho e pelas estrelas, pela tua ancestralidade angélica e pela tua ancestralidade familiar. Permite-te, em profundo amor, nem que seja por segundos, voltar a encontrar-te!

Por: Filipa Fautino | omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

20170219_185041

Energia Masculina | Os ciclos cósmicos da Natureza!

Todas as estações do ano refletem um ciclo cósmico e consequentemente ciclos humanos. As estações do outono e inverno desenvolvem a nossa energia feminina, mais recetiva, intuitiva, de espera e de desenvolvimento interior. As estações da primavera e do verão, desenvolvem mais a nossa energia masculina, da ação, do movimento, do resultado e da criação.

E, neste início da estação da primavera, convida a percebermos e conhecermos a nossa essência, os nossos sonhos e propósitos de vida, que andamos a “alimentar”, para que agora passemos à prática!

É uma energia de colocar em movimento e de Agir!

É tempo de perceber o nosso interior, os nossos pensamentos e agir em função de valores mais elevados, tais como o Amor, aceitação e a confiança!

É tempo de perceber que todas as possibilidades estão em aberto, há um lugar de abundância e de manifestação para todos!

Este ano 2017/1 pede ação, coragem e construção de novos caminhos, e que não se compadece com desculpas e justificações no sentido de adiarmos os nossos sonhos! Estamos a ser apoiados, mas para isso temos de dar o primeiro passo! Este passo deve refletir a consciência de que somos o que precisamos para sermos felizes e plenos! Este passo deve manifestar a energia criadora que todos temos, de forma única e distinta, mas que contribui para o equilibrio universal.

Esta vibração universal pede-nos que nos alinhemos com a nossa verdadeira identidade e verdade interior e agir um função disso!

É um ano de Iniciação para todos aqueles que estão ao serviço e alinhados pela consciência de que o Bem acontece dentro de nós mesmos, dentro das nossas famílias e amigos, pois só assim fazemos bem ao mundo!

Por: Helena Sousa | Numeróloga |Contacto: https://www.facebook.com/Centelha-Mágica

16466961_10208103758813695_1309999396_n

Consciência | A liberdade que encontras no Xamanismo! És tu!

Foto: Maria Jose Jacinto

Estamos em altura de liberdade, liberdade para recriarmos, e não viver de igual forma como se vivia no passado.

Somos Seres Conscientes a viver uma altura fundamental para evoluirmos como Seres Humanos que somos, melhorar, viver, Amar…Quando se fala em Xamanismo, uns repelem-se, outros têm medo, outros curiosidade…outros dizem disparates* porque são influenciados por alguém… então resolvi escrever o que sinto sobre o Xamanismo. E falo muito resumidamente sem aprofundar muito, porque hoje em dia eu sinto que tudo ficou meio banal.

Para mim Xamanismo não é sinônimo de psicoativos, para sentir a “arte xamanica” é preciso bem mais do que tomar uma bebida… Existe uma dedicação, uma disciplina interna e muita CORAGEM para MORRER E RENASCER todos os dias.

Existem os Cantos, as Danças, os Tambores, os Didggeridoos, as Saunas, as Meditações, só alguns exemplos…e desta forma celebra-se, acessa-se* e vive-se.
Existe honrar a Natureza em todos os aspectos, global e local, seja no colectivo ou pessoal, mircro ou macro, todas as Direcções, todas as Dimensões e principalmente honrar a Essência que habita em nós e em tudo o que Vive…e sim não nos podemos esquecer das ferramentas que cada um de nós possui e que foi conquistado ao longo da vida até hoje. Relembrar que são ferramentas e não são “o caminho.”
O caminho és Tu que fazes, É Ser*…

Passamos a Ser um guardião ou guardiã atento (a) ao que de dentro de nós salta em busca dos nossos sonhos mais íntimos, onde a sabedoria xamanica para mim é sabedoria da Mãe Terra, onde cada um de nós, tem um dom ou talento especial, está disponível para todos nós dependendo da sinceridade e humildade com que buscamos. A sabedoria conduz a um relacionamento de Amor com a Mãe Terra.

Um “Xamã* das cidades” é alguém enfrentou e enfrenta as suas sombras e venceu e vence os seus medos, tais como alguns exemplos, solidão, vaidade, orgulho, insanidade, passa por mortes em vida. Renasce e escolhe tornar-se um auxiliador (a) ou facilitador (a), ao serviço das pessoas. Por isso um “Xama das Cidades” não é um santo ou profeta. Existe sim uma necessidade de expandir a consciência e obter resposta em mundos ou planos de consciência, para que possa obter equilibrio e curar-se, onde começa a passar uma tranquilidade e uma paz genuína.
É um Ser que procura ajudar-se a melhorar. Aprendem a sentir, ver e a ouvir a energia. Religam-se com o Sagrado e com a fonte criativa de tudo o que lhes acontece.

O verdadeiro Xamã não se vê está na Natureza longe da tecnologia, longe de tudo*
E muito fica por dizer, mas simples assim, chega para quem me faz perguntas.

Por: Anna Luizza | Contacto: http://annaluizza.weebly.com/blog

IMG-20170302-WA0004

Espiritualidade | Crescimento versus Fuga

Há uns anos até atrás conheci uma mulher, que acabou por ser minha aluna, que num primeiro impacto parecia uma mulher corajosa, que tinha largado tudo, trabalho, casamento, filhos, para ir atrás dela mesma para a Índia.

Esta mulher fez um percurso muito interessante de reencontro consigo mesma, onde viveu em comunidade, pacificou o seu coração, a sua alma, onde aparentemente encontrou o seu propósito.
No entanto um dia num exercício, tão simples como libertar as emoções, em vez da habitual música de meditação, utilizei música pop/comercial, esta mulher quis fugir desesperadamente. Porque a música lhe pedia para lidar com o que tinha deixado para trás. Pedia-lhe para finalmente fazer as pazes com ela e com as decisões que tinha tomado no passado. Todo o sistema emocional dela, aparentemente bem trabalhado, entrou em colapso. Ela usou a espiritualidade para fugir da realidade que ela própria criou, mas não assumiu a responsabilidade pela criação dessa mesma realidade. Apesar de todo o trabalho que fez, ignorou a verdadeira razao de ter decidido mudar tudo, ela fugiu da responsabilidade de assumir quem era, essa dor ficou dentro dela a ser ignorada.
O caminho de reencontro através da espiritualidade é um caminho que tem que ser vivido em verdade, em verdade com tudo, com a criação, com a responsabilização dessa mesma criação, para ser pleno desde o inicio , tem que ser tomado em consciência do verdadeiro porquê. Se anseias por deixar um mundo inteiro para trás, tens que saber porque o fazes e principalmente fazê-lo sem fuga. Fugir do mundo é fugir de ti mesmo, reconhece-te sem fugir, só assumindo tudo, que consegues mergulhar profundamente dentro de ti.

A espiritualidade, independentemente da estrutura que escolhas, é um caminho de amor. Se houver verdade em todas as etapas do caminho, toda a pacificação é verdadeira. Pouco importa depois o que acontece, consegues até ouvir música heavy metal, mantendo-te profundamente conectada contigo mesmo.
Ser espiritual é viver o mundo e no mundo, com todos as nossas criações, mais alegres ou menos alegres, é ser inspirado pelo mundo e puder escolher mudar o nosso próprio mundo. A espiritualidade, a iluminação, a profunda conexão a ti mesmo, encontra-se aqui e agora, precisamente no sitio onde estás.

Sente e em consciência faz a tua própria escolha.

Por: Filipa Fautino | omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

20170202_111111

Numerologia | Qual o seu Caminho de Alma?

Quando a Alma decide vivenciar as experiências na Terra, traz consigo registos e potencialidades para empreender nessa aventura.

O momento em que a Alma nasce, é o momento em que corresponde ao seu estado vibracional a um nível energético. E, este nível representa o caminho que a Alma precisa de fazer para evoluir e expandir a sua consciência. É um caminho diário, que representa as maiores aprendizagens, potencialidades, mas ao mesmo tempo, desafios. E como pode saber qual o seu caminho? Através do cálculo da sua data de nascimento, somando todos os dígitos que a compõem. Feito o cálculo, chegamos a uma resultado intermédio de 36 e voltamos a somar os dois dígitos que compõe este número,  como por exemplo, uma pessoa nascida no dia 9 de Junho de 1974 – 9 + 6 + 1 + 9 + 7 + 4 = 36/9 – o Caminho desta Alma é 9.

Para aqueles cujo Caminho de Alma é 1, significa que vêm reencontrar-se consigo mesmos, reconhecer a sua identidade e individualidade. Devem caminhar de forma independente, autónomos, com iniciativa e coragem, pois tudo o que conseguirem apenas irá depender de si mesmos, sem medos, sem inseguranças, sem apegos. Devem ter cuidado para não se centrarem demasiado em si mesmos e estarem atentos aos sinais da vida.

No Caminho de Alma 2, o tato, a diplomacia, a concórdia, a empatia e a colaboração serão uma constante. Vêm criar harmonia relacional e diplomacia. Sendo sensíveis e prestáveis, têm boa capacidade para arbitrar conflitos e estabelecer a União. Em prol da harmonia, podem cair na tentação de se submeterem ou se anularem, por isso, devem ser assertivos e autoconfiantes, pois deles depende a paz relacional.

O Caminho de Ama 3, traz a criação, leveza, a expansão, a alegria relacional, a arte, a comunicação e a criatividade. Estas pessoas não gostam de rotinas, pois a inspiração não tem hora marcada. São positivos e comunicativos, pois deles depende a cor, a beleza e a alegria relacional. Com tantas ideias na cabeça podem ser dispersos, ou terem dificuldade me finalizar o que começam. Devem treinar o foco e a concentração.

Como precisamos da estrutura e da lógica, temos o Caminho de Alma 4, que dão suporte às criações, com trabalho, esforço e empenho. Delas depende, a realização e atividade prática do dia-a-dia, por isso, prezam as regras, o método e as rotinas. São responsáveis e dedicados. Há tendência para serem acomodados, recearem as mudanças e serem teimosos. Devem aprender a serem flexíveis.

E, neste sentido, temos as pessoas flexíveis, aventureiras e expansivas que têm como Caminho de Alma 5. Vem viver as experiências da vida com livre-arbitrio, procurando voos mais altos, inovando e progredindo, rompendo com o instituído, com aquilo que impede a Alma crescer e evoluir. Delas depende a inovação, a expansão do conhecimento, as viagens e abertura mental, através da criatividade e comunicação. Há tendência para serem insatisfeitos, não cumprirem regras nem rotinas e serem impulsivos.

Para acalmar esta energia de fogo, vem a água do Caminho de Alma 6. Estas pessoas são ligadas à família, ao lar e à comunidade. Prezam os afetos, a beleza, o conforto e as relações. São generosos, prestáveis e afetuosos. Valorizam o diálogo e a harmonia familiar. Há tendência de se sobrecarregarem com problemas que não são seus e vitimizarem-se de tanto dar e não receber.

Para a Alma crescer, precisa de momentos de introspeção e interiorização. Entramos no Caminho de Alma 7, em que a Alma precisa de meditar e refletir sobre o seu propósito de vida e sobre os mistérios do universo. São almas de estudo, investigação, de acumularem conhecimento e prezam o seu espaço e silêncio, encontrando-se nas páginas dum bom livro. Devem evitar o excesso de isolamento, o perfecionismo e a frieza relacional.

O Caminho de Alma 8, traz o poder, o dinamismo material e a criação da riqueza e abundância. Estas pessoas precisam de autoridade e de concretizarem os seus projetos e sonhos, pois delas depende o progresso da sociedade. São determinadas, lideres, estrategas, ambiciosas e prezam um bom planeamento. Devem ter cuidado para não serem demasiado materialistas, prepotentes e arrogantes.

Para a Alma continuar e evoluir, precisa de ser humanitária, altruísta, contribuindo para um mundo melhor. Aqui entramos no Caminho de Alma 9, cujas almas prezam a paz no mundo e a evolução de cada um. Tudo o que fazem é para um bem maior e dedicam-se a causas nobres. Trazem sabedoria e entendimento, percebendo que cada alma está no seu percurso evolutivo, por isso, não julgam, apenas aceitam. Há tendência para serem demasiado idealistas, o que pode levar a depressões e isolamento, pois para elas o mundo é perfeito!

Por: Helena Sousa | Numeróloga |https://www.facebook.com/Autoconhecimento9/?fref=ts

20170116_172147

Sincronicidades | O divino é tudo e está em tudo!

Foto: Vera Cristina

Quão belo pode isto ser? Quanto mais profundamente nos permitimos sentir.

O que é a sincronicidade de tudo o que nos rodeia? 

Tudo o que habita em nós, nas pessoas que nos acompanham, nas estruturas materiais, no centro da consciência que nos recebe para aprendizagem, neste planeta que conhecemos como Terra, tudo é absolutamente divino.

Tudo, integra e encerra em si, uma perfeição absoluta de propósito, cada estrutura cumpre sempre o seu propósito perfeito, para a plena resolução do propósito da estrutura ao lado. Nada neste ciclo perfeito acontece por acaso: não gostamos de alguém por acaso, não moramos em determinado sitio por acaso, não bebemos café naquele sitio do costume por acaso. O acaso não existe.

Existe sim, uma sincronicidade perfeita entre cada estrutura divina, que volto a repetir, é absolutamente tudo. Tudo vem exatamente da mesma energia que tu e eu. Tudo vem e voltará para o Todo quando for o tempo perfeito.

Existe em tudo e a todos os momentos e tempos uma sincronissidade perfeita, como o que é o nosso propósito enquanto seres em manifestação, talvez, estejamos todos os dias a beber café naquele sitio, porque um dia pela porta entrará alguém que falará connosco e mudará de vida. Podemos estar anos a fazer algo só para chegar a um fim, um fim tão perfeito, de mudança e consciência tão profundas e infinitas, que naquele momento compreendemos como toda a nossa vida nos levou ali, compreendemos como foi absolutamente perfeito o caminho, absolutamente construtor e consciencializador.

Como se manifesta a nossa vida quando vivemos de acordo com a nossa verdade interna?

Esta perfeição é intrínseca a cada ser, a cada planta, matéria. Por isso é possível retornar até a doença mais grave da nossa estrutura física, cada um dos nosso átomos encerra em si a lembrança da saúde perfeita, do funcionamento perfeito, da realização divina em ação em cada átomo que compõe o universo. É possível, mas é considerado milagre, mas na realidade até aquele processo nos levou mais uma vez a um reconhecimento que não seria feito de outra forma, um reconhecimento da nossa divindade, talvez ate da nossa perfeição.

A aceitação disto, permite que a tua consciência se expanda uma oitava acima, numa rapidez parecida com a velocidade da luz, permite que em pouco tempo toda a tua estrutura se abra para uma nova realidade e se realinhe com a consciência angélica que habita em ti, na divindade que és.

Quando percepcionas a divindade em ti, tens a capacidade de a percepcionar e sentir em tudo o que te rodeia, é neste preciso momento que te elevas e fazes parte do todo, é assim que te iluminas e te tornas parte integrante do todo enquanto habitas a terra.

Vê, ama, aceita a divindade que existe em tudo.

Por: Filipa Fautino | omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

DSC_0067

Descobertas Internas | Oportunidades de Ouro

A vida move-se sempre em frente, mesmo que dentro do nosso mundo tudo esteja estagnado (ou que assim pareça) mas tudo continua a mover-se quer queiramos quer não. A falta de movimento pode assustar, no fundo movimento é vida, mas há movimentos que são feitos de forma gradual, calma, quase imperceptível e é nestas alturas que temos que aproveitar este ciclo para nos nutrir, há mais tempo, há mais disponibilidade e quem sabe não foi o universo a colocar as coisas desta forma para assim termos a oportunidade de ajustar determinados conceitos, formas de estar e compreender os próximos passos a tomar. Finalizar algo ou iniciar algo, as oportunidades são inúmeras e estão mesmo aqui ao alcance de quem as quiser aproveitar: quando mais tentamos segurar o velho (ou quanto mais medo temos de libertar o antigo) o novo não vai ter espaço para se manifestar. E a vida é mesmo assim: fins e inícios, fins e recomeços; decisões, decisões e decisões. Nunca pára.

Por vezes, em consulta, perguntam-me se “isto” dos processos alguma vez vai acabar e a única resposta a dar é o não, nunca vão parar, e é tão bom que assim seja porque temos oportunidade de nos reinventar, de experimentar coisas novas, de ter novas atitudes, caímos e levantamo-nos com tanta intensidade que deixa de ser importante alimentar o lobo mau.

Com o passar dos anos (hoje em dia meses parecem anos) vamos compreendendo o verdadeiro valor das tais quedas e é tão simples quanto criar uma rede de segurança: uma rede cheia de amor por nós mesmos, uma rede que é flexível mas forte, porque será esta rede que nos segurará quando a queda for mais forte do que aquilo que estávamos habituados e esta rede curará a nossa alma e o nosso ego. Esta rede tão especial também nos vai permitir ver além do que o outro representa e acabamos por compreender que todos estamos ao serviço de algo, todos estamos a representar um papel e este amor cura tudo o que possa vir que não vibre na mesma intensidade.

Esta rede de amor que irradiamos a partir do nosso coração serve portanto de escudo protector, há medida que vamos mergulhando profundamente em nós mesmas tornamo-nos muito mais sensíveis até mesmo ao que nos rodeia e é importante também aqui fazer um balanço nas situações e/ou relações que mantemos que não nos nutrem. Seja qual for a relação tem de sempre haver uma reciprocidade, quando apenas existe um dos indivíduos a doar-se então há um desequilíbrio e isso começa a destruir esta rede que construímos com tanto carinho para nos nutrirmos porque existe um alguém (que pode o fazer inconscientemente) que está a usar também esta rede em seu beneficio, claro que tudo é nossa responsabilidade: o amor próprio está a ser chamado ao serviço. E se não nos libertamos de algo que nos prejudica então a escolha é nossa para nos mantermos naquela situação.

Lembra-te sempre que és independente, que energeticamente, mentalmente e emocionalmente não dependes de ninguém a não ser de ti mesma. E quanto mais depressa compreendermos que apenas o que nos faz bem é o que deve permanecer mais depressa começamos a atrair situações e pessoas mais benéficas para nós! E tudo há nossa volta melhora: a nossa escolha cai sempre primeiro sobre nós mesmas. E estas são oportunidades de ouro que o universo nos dá em cada ciclo para aprender e crescer, caso não aprendamos na primeira o universo trará aquela experiência (ou parecidas) novamente para aprendermos. Sem exigências. Somos humanos e todos temos o nosso tempo.

Por:Diana Faustino|Sacerdócio do Sagrado Feminino |http://sersagradofeminino.wixsite.com/sacerdotisas

heart-700141_640

Ancestrais | Honrar as Ancestralidades!

O que significa ser ancestral?

Todos nós, sem exceção, somos seres ancestrais em vários níveis e direções. Somos seres ancestrais porque somos uma imensidão de vida, de tempos, de dimensões, de experiências e aprendizagens, vivemos já, centenas de milhares de personagens, com características, evoluções e expressões físicas, mentais, emocionais e espirituais diferentes. Somos almas-espíritos ancestrais porque trazemos a consciência da evolução, porque, podemos até não saber o nosso propósito, mas sabemos que estamos aqui para evoluir, no matter what.

A consciência da ancestralidade de alma, abre-nos, imediatamente a uma consciência superior. É necessário num primeiro instante, libertar a rigidez, connosco mesmos, a rigidez mancha a nossa estrutura e corta qualquer ligação à nossa espiritualidade. Sermos exigentes e rígidos connosco mesmos, não é, de todo, um ato de amor. A nossa estrutura só evoluí com amor e pelo amor. Tudo o resto machuca e desonra a nossa ancestralidade.

Mas, somos compostos por mais ancestralidades, somos também feitos pela nossa ancestralidade familiar: os pais, avós, os bisavós, trisavós e por aí adiante. Tudo o que somos, é escolha nossa e devemos honrar essa escolha. Tudo o que somos, é, num primeiro patamar a unificação entre a nossas ancestralidade de alma e a nossa ancestralidade familiar, então, compreendamos, que existe sempre em nós, muito para ser, para curar, para amar, para descobrir.

Mais uma vez, o primeiro passo para libertar, – sejam os dons, sejam os padrões da ancestralidade familiar em ti, – é amar e honrar, cada pessoa que fez parte dessa experiência. Honrar e amar, compreendendo que todos fizeram sempre o melhor que sabiam e podiam, dadas as circunstancia dessa experiência. A tua experiência enquanto alma, enquanto ancestralidade espiritual, promove a vivência, o reconhecimento e a libertação mais profunda de determinada estrutura familiar. Ao libertar, libertará todos os teus descendentes, partes de ti, a nível espiritual.

O que acontece quando libertamos?

A consciencialização permite, que uma partícula que é criada depois, seja sempre mais consciente, muitas vezes com coeficiente amplificado a centenas de vezes `mais que a partícula criadora. Esta compreensão, levar-nos-à, a um momento em que nossa partícula descendente, que também somos nós em vivência, permita que existamos infinitamente.

A unificação das consciências da ancestralidade, seja ela de que direção for, só é possível com o honrar dessas energias-estruturas-formas de manifestação e ser. Existe sempre uma razão energética para qualquer tipo de atitude. A compreensão desta característica, permite o ser ler entre as linhas da vida, ver a realidade materializada para além do que é aparente.

Quando te tornas leitor de linhas, consegues amar e honrar qualquer ser, tempo, ou manifestação por mais vil que pareça, porque compreendes tudo o que aquela atitude comporta; curando na alma, a honra que qualquer ser comporta. Permitindo que esta cura e mudança no Ser, em ti, em ambos se materialize numa mudança abismal das características vivenciais.

Quando existe honra, não existem ilusões que toldem a visão, porque a honra, é uma forma de respeito e aceitação profunda, que permite que a verdade se manifeste.

A felicidade encerra em si a verdade do ser, a manifestação dessa verdade pressupõe a honra de tudo o que faz parte da estrutura do Ser.

Por: Filipa Fautino | omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

girl-1112677_640

Arcanjo Miguel | Conheces a força do Arcanjo Miguel?

Desde pequena que tenho a bênção de ver, ouvir e sentir os Anjos, e é por isso que há tantas estruturas que falam dos Anjos de uma forma dura e inacessível que não fazem, nem nunca fizeram sentido para mim. O Arcanjo Miguel, é o regente do planeta Terra, ocupou à muito tempo este lugar, que era no inicio dos tempos regido pelo Arcanjo Gabriel. O Arcanjo Miguel, é também o Anjo de Portugal.

Tenho um historial de vida e crescimento com os Arcanjos, tenho histórias específicas com cada um deles, e eles são tantos.

O Arcanjo Miguel é um dos meus instrutores divinos, juntamente com uma panóplia altamente qualificada, como ele costuma dizer-me a brincar. Para mim, Miguel sempre foi uma diversão, talvez porque eu saiba que o meu objetivo de vida é evoluir o Arcanjo Miguel sempre se apresentou de uma forma doce, compreensiva, presente, muito presente. A Luz dele está a todos os momento atrás de mim, amplificando a minha consciência, porque esta é uma das funções de Miguel, ele é, primordialmente um amplificador de consciências.

Através de Miguel, podemos verdadeiramente fazer uma Ascensão plena e consciente pelo o que é a energia do nosso universo cosmos.

Todos conhecem o Arcanjo Miguel, existem provavelmente centenas de arcanjos que a maioria das pessoas nunca ouviram falar, mas Miguel, faz parte da nossa história, da nossa fé, faz parte de casa dos nossos avós, faz parte de cada um de nós até ao átomo mais infinito da nossa estrutura física, emocional e espiritual. Faz porque é assim neste planeta, por isso, ao longo dos séculos, os nossos antepassados foram criando nele a imagem do guerreiro, o Arcanjo mais forte, o Arcanjo Supremo de proteção, que com a sua espada de Luz, derrota todo o mal.

Sinto uma ferida global com Miguel, uma ferida que ele pede para ser curada, é como, mesmo amando-o, ainda o temêssemos, mas ele é amor, e como ele diz, “eu protejo o amor, protejo com amor, a espada que vocês colocaram nas minhas mãos é na realidade um raio de amor, e é altura de compreenderem isso”. Miguel é amor, e amplifica a nossa consciência e a nossa estrutura ao amor, afinal não existe nada para nos proteger-nos, se vibrarmos verdadeiramente em amor. Tudo o que virá será amor e não for, será permeado pelo amor, transformando-se.

Existe neste tempo uma grande necessidade de mudar a nossa visão sobre a energia arcangélica. Compreender que qualquer sentimento de inacessibilidade é arcaico e não nos permite evoluir, é uma espécie de falta de merecimento da presença de Miguel nas nossas vidas. Sim, ele muda tudo, sim, porque ele traz-nos a verdade, a verdade da nossa alma, ele traz-nos a consciência que somos filhos e filhas das estrelas, e esta é a hora de assumir isso.

Miguel e todos os arcanjos sabem que temos alguma dificuldade em assumir a nossa sabedoria, mas também sabem a nossa potencialidade, quem somos, e que independentemente daquilo que estamos a vivênciar nas vidas paralelas, somos todos consciência extremamente evoluídas neste tempo-espaço.

O Arcanjo Miguel traz isto com amor, com evolução, exigindo que te vejas, mas a exigência dele, não é de todo como a nossa exigência humana, é de amor, é de compreensão mas é a de um velho sábio, professor que ama imensamente cada um dos seus alunos e reconhece aquilo que eles não querem ver. Há quem considere o Arcanjo Miguel “difícil” por isto, porque ele leva-nos assumir quem somos e a deixar definitivamente para trás a mesmice, ele passa-nos a mão nas costas como aconchego para logo de seguida aproveitar o movimento e impulsionar-nos para a frente. Quão mágico e maravilhoso isto já é.

Miguel leva-nos a assumir quem somos, a maneira como reagimos a ele tem a haver com a nossa vibração.

Ele é amor, aceitas-lo assim na tua vida? Se sim, deixa-te mudar!

Por: Filipa Fautino | omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

pray-1639946_640

Dom | Queres desenvolver os teus Dons?

O Dom, é algo que se desenvolve, todos os Dons à face da terra, existentes em qualquer Ser, são aprendidos e desenvolvidos.

No entanto, e apesar de todos termos acesso à energia criativa de crescimento e desenvolvimento de Dons, ela só é integrável – podes ter acesso e podes até observar – mas essa luz que alberga o Dom, ou na realidade a chave energética para reativar o Dom no teu sistema matriz, só é possível quando o desejo é de coração-alma e não de coração egoíco. E sim, até te podes enganar a ti mesmo, mas nada engana a sabedoria que habita nesta energia luminosa de criação de Dons.

Um Dom só será reativado em ti, se servir, primeiro: o teu bem superior de aprendizado no aqui e agora, deste tempo-espaço; em segundo lugar, se servir o bem supremo e a evolução proposta no tempo em que estás inserido para a humanidade. Por outro lado, os Dons com que nascestes, podem ser retirados, senão estiverem a serem usados, nem num propósito nem no outro. A energia não se desperdiça, ela é inteligente é eficaz e será sempre ofertada aos Seres que vibrem em coração.

Como podes desenvolver os dons?

Existem duas formas primordiais: através da energia criativa da Terra ou através da energia criadora do céu.

Começando pela última, podes em gratidão pedir o desenvolvimento de determinado Dom à tua hierarquia angélica, compreendendo que quando é concedido, o Dom tem tempo de adaptação à tua consciência do momento presente e à tua capacidade mental e energética. Nunca te irão dar nada com que não sejas capaz de lidar. Estas condições amorosas de respeito pela tua energia e pelo o que és, extende-se também aos Povos Mágicos.

Se sentires que deve em amor e gratidão, pedir à energia criativa da Terra, pede ao teu Povo Mágico, aquele, que algures no tempo-espaço de aprendizagem, ainda fazes parte.

Estes povos podem ser conhecidos, como as Fadas, o Povo Élfico, as Sereias; e muitos outros com que já tomaste contacto de uma forma mais fantasiosa ou mais realista. Mas, também podem ser desconhecidos, na realidade, só do reconhecimento memorial humano. No entanto, todos sabemos que algures, ainda existem Povos Mágicos, que ainda se mantêm ocultos por opção própria, só se mostrando a quem realmente desejam. E que talvez já tenhas tido o privilégio de ver em meditações e sonhos, em momentos cruciais de consciencialização da tua vida, relembrando-te de quem és e ofertando-te a Sabedoria para vivenciar determinadas situações, aprendendo rapidamente e libertando-as.

Mais uma vez, a concessão de Dons, depende do nosso grau de desenvolvimento e principalmente da disponibilidade à mudança. Relembro-te, que o desenvolvimento de Dons, pressupõe sempre, uma mudança de paradigma e perspetiva de Vida.

Muito de ti muda com a integração de um Dom.

Qualquer que seja o Dom, lembra-te que és responsável pelo seu bom uso; perceciono que seja frustrante para o processo evolutivo e propósito adquiro da Alma o retirar de um Dom, logo extremamente frustrante e desolador para toda a tua vivência terrestre. Pedir um Dom, é um ato de consciência de Deus-Deusa, é um ato de sabedoria e na realidade de coragem. Muito do que conheces enquanto “tu”, mudará, se tiveres a bênção de integrar um novo Dom.

O meu conselho: pede sempre em consciência e se realmente desejas, pede em coração e principalmente, prepara-te, porque a mudança vai começar.

Bem vindo a mais uma Viagem!

Por: Filipa Fautino | omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

15591276_1133296320121717_8563092892446822261_o

Ano Novo | Um ritual psicomágico para concretizar planos em 2017

Estamos a chegar ao final do ano de 2016. Vamos brincar…

No final do calendário existe a tendência natural em refletir e rever os nossos sucessos e fracassos. Muitas vezes, na passagem do ano, cria-se uma centelha de esperança em atingir grandiosamente novos objetivos mas, passados alguns dias, a rotina apodera-se da vontade. Celebramos em pompa e circunstância com champanhe, uvas passas e bolo-rei, contudo, nada de concreto é realizado de uma forma prática e simbolicamente poderosa.

“Para o ano vou deixar de fumar…”, “Para o ano vou encontrar o amor da minha vida…”; “Para o ano vou estudar…” Para o ano vou blá-blá-blá.

Não chega desejar algo mentalmente porque somente queres. Necessitas de pedir a colaboração do Poder do teu Inconsciente para alcançar metas. Caso desejas MUDANÇAS REAIS para 2017, é necessário saber que tens uma natureza totalmente irracional que gosta de ser explorada através das JOGOS e RITUAIS. O Inconsciente é um aliado poderosíssimo no qual tens de respeitar.

O PODER INTERIOR surge quando consegues conciliar ambos os comandantes da tua vida: A Mente com o Coração, Razão com a Emoção numa só Voz. Este é o SEGREDO.

Nesta “brincadeira” desafio-te realizar um ritual psicomágico poderoso que te trará resultados tangíveis e reais, dependendo da tua entrega e abertura. Cabe somente a ti experimentares. Não tens NADA a perder, a não ser o teu ceticismo e orgulho intelectual.

Ao realizar o ritual, irás oferecer ao teu Inconsciente um movimento psicoenergético que te dará PODER em realizar mudanças profundas na tua vida, quer sejam ao nível da saúde, trabalho, amor e dinheiro. Tu escolhes…

RITUAL PSICOMÁGICO: ANO NOVO, VIDA NOVA

Estamos intrinsecamente conectados à Natureza através da nossa biologia. Ela vive por ciclos, onde para existir Vida terá que existir também a Morte. Há a criação e a destruição, a luz e a sombra, a energia yang masculina e a energia yin feminina… A Natureza FRUTIFICA através da interação entre estes dois aspectos complementares.

Os nossos frutos podem ser MATERIAIS(dinheiro, um carro,uma casa, um trabalho, etc.) ou IMATERIAIS (amizades, amor, prazer, confiança…).

A ENERGIA MASCULINA representa a parte criativa, onde projetamos a nossa vontade para a Ação e o Exterior. Com essa energia potenciada conseguimos poder de materialização de tudo o que queremos, através da execução e concretização. O lado masculino permite dar-te coragem em “matar” com o que não necessitas e “batalhar” pelo que mais desejas. Esta energia tem especial orientação sobre o trabalho e dinheiro. PROMOVE A RIQUEZA EXTERIOR.

A ENERGIA FEMININA representa o teu lado interior e emocional. Com essa energia potenciada, conseguimos amar a nossa vida e desfrutar do momento presente, com prazer e alegria. O lado feminino permite reencontrar a magia inocente da vida, conectar com as pessoas à tua volta, impregnando-te com uma sensualidade muito própria. O lado feminino dá cor aos dias, mesmo quando o céu está cinzento. Esta energia tem especial orientação para o Amor e o Prazer. PROMOVE A RIQUEZA INTERIOR.

(para compreenderes a importância da energia sexual, convido-te a ler o artigo… http://www.verdadesdocorpo.com/…/energia-masculina-e-energ…/)

O que te irei propor é SEMEAR SAUDAVELMENTE estas duas energias vitais no teu Inconsciente.

MATERIAIS:
Folhas brancas;
Material para escrever e/ou pintar;
1 Vaso com terra;
2 Sementes;
1 Tesoura;

1 PODAR ERVAS DANINHAS:

1.1 Para a ENERGIA MASCULINA, escreve numa folha o primeiro nome dos teus familiares diretos masculinos (pai, avós, bisavós). Se não conheceres o nome, deixa que te surja um intuitivamente.
1.2 Quando concluíres, respira profundamente 3 vezes e leva ao peito (centro emocional). Nesse momento, deixa que te surjam TODAS as crenças e pensamentos negativos relacionados com a tua energia masculina (por exemplo: “os homens são fracos”, “os homens são traidores”, “ser homem é vergonhoso“, etc…) e escreve tudo numa outra folha.
1.3 Depois de concluíres, pegas nessa folha e corta com uma tesoura até ficar em pedaços reduzidos. Junta-os dentro de um recipiente de metal. Deita álcool e queima ao ar-livre.
1.4 Realiza exatamente o mesmo processo com a ENERGIA FEMININA com familiares femininos.

2 SEMEAR POTENCIAL

2.1 Para a ENERGIA MASCULINA, pegas numa folha e escreve todas as crenças e pensamentos que desejas semear na tua energia masculina (por exemplo: confiança, coragem, valor, audácia, firmeza, força, poder, etc…). No final inspira 3 vezes e leva a folha ao teu peito. Deixa que te surja na mente um símbolo que represente todas essas qualidades e desenha-o numa outra folha à parte. Guarda o símbolo em tua casa.
2.2 Agarra numa semente e coloca-a debaixo da tua língua. Durante 9 minutos vais repetir em voz alta tudo o que escreveste com a semente na boca. O objetivo é impregnar com vibração emocional através da palavra, para a matriz biológica da semente.
2.3 No final, coloca a semente dentro de um vaso com terra.
2.4 Realiza exatamente o mesmo processo com a ENERGIA FEMININA, juntando a semente feminina no mesmo vaso.

3 REGAR COM VALOR

3.1 Após realizar o processo, decora o vaso à tua maneira. Usa a tua criatividade e intuição. Sê uma criança inocente e rebelde. Podes colocar dinheiro falso, brilhantina dourada, mel, vinho, doces, rosas, perfume, etc… Inventa livremente.
3.2 Mantém o vaso contigo até o dia 3 de Janeiro, dando-lhe um tempo de atenção na tua vida. Imagina como serão os frutos dessas sementes.

Após esse dia, as tuas sementes estarão preparadas para serem enterradas no seu meio natural. Dependendo da vontade que sintas, escolhe um lugar na natureza no qual te dê mais gozo em desfrutar. Não existem locais certos, existe somente o prazer em descobrir.

Atualmente a ciência sabe que a GRATIDÃO é a emoção que mais harmoniza e equilibra as ondas cerebrais. Por isso já sabes… Leva o vaso contigo, sêmeas e, no final, abre o teu coração em forma de agradecimento.

O restante processo já se encontra fora do teu controlo consciente. Brevemente, as sementes irão crescer na tua vida e verás os resultados através de COINCIDÊNCIAS e OPORTUNIDADES.

A escolha de avançar será sempre tua…
Acredita no Impossível e ousa realizar algo diferente.

Por: Marco Sousa | Psicologia Clínica | Email: verdadesdocorpo@gmail.com | Facebook: https://www.facebook.com/marco.c.sousa?fref=ts

rp_cosmos-1138041_640-e1482067357925.jpg

Numerologia | O que é a Numerologia Universal?

O que é realmente, a numerologia?

A Numerologia é uma linguagem cósmica e divina, sincronizada e lógica que reflete os padrões universais, o cosmos e a vida do ser humano na terra. Tendo tudo uma lógica para acontecer, quer a data em que nasceu, quer o nome que lhe foi atribuído, reflete a escolha pessoal e livre-arbítrio individual, de acordo com o nível de consciência, para trabalhar padrões, fazer aprendizagens e aplicar os seus dons, tendo em vista a sua Evolução. Neste processo, cada pessoa percebe que é mais do que imagina, e ao entender o seu percurso individual, mais fácil será a interligação com o outro e com o universo, pois ao conhecer o seu caminho rumo ao seu propósito de vida, permite que cumpra o seu plano cósmico distinto, que interligado com o “Todo” permite o equilíbrio universal.

A melhor forma de sabermos se caminhamos rumo ao nosso propósito é a sensação de paz interior, de bem-estar consigo próprio, de entusiasmo e de vibrar com o que faz! Os números são holísticos, porque ligam o passado, o presente e o futuro, como partes do todo, sendo fundamentos da existência, pois trazem consciência à vida, permitindo saber de onde vimos, onde estamos e para onde podemos ir. É perceber que os números dizem muito mais e através deles acedemos a portais e informações divinas de cada um e do todo.

Tudo é possível ser estudado através da numerologia, onde o universo se reflete em nós e nós no universo, por isso, onde tudo é energia. A nossa energia é possível ser analisada ao nível dos nossos chakras, sabemos que a terra também tem chakras, por isso, o universo também os têm. O macrocosmos/universo, reflecte-se no microcosmos/ser humano e vice-versa. Assim sendo, cada chakra corresponde a diferentes níveis vibracionais, diferentes dimensões de consciência, onde cada um representa energias muito concretas, diferentes relações correspondem a diferentes estados de consciência.

Como se relacionam os números com os chakras?

Sendo os nossos chakras os nossos receptores e emissores de energia, podemos encontrar o nosso chakra dominante através da soma da data de nascimento, que associamos ao nosso número de vida. Por exemplo, se a soma da data de nascimento de uma pessoa resultar num 3, número de vida 3, a pessoa terá como chakra dominante o Chakra do Plexo Solar, logo esse centro é dominante na sua vida, pois todos os seus corpos são influenciados por ele, e será por este que caminhará ao longo da vida. Como número de vida será um caminho expansivo, optimista, criativo e comunicativo, tendo que trabalhar como chakra, o autocontrolo, autoridade, energia, poder pessoal e humor. Podemos também verificar qual o chakra dominante numa relação, somando os números de vida de ambas as pessoas, assim como de uma família, etc, até a uma nação e ao planeta. Como não é possível somar os números de vida de uma nação e de todos os habitantes do planeta, podemos fazer uma associação, à vibração universal em que estamos, ou seja, ano universal de 2016 que dá 9. Correspondendo ao 9º Chakra do Karma em que encontramos a ligação com o mundo espiritual em absoluto, além de nos ser pedido um alinhamento com os nossos propósitos de vida, também nos é pedido encontrar a impressão «digital» da nossa Alma.  O nono chakra tem também correspondência com o nono passo da nossa existência, quando o encontramos como chakra dominante, encontramos o sentido da vida, o propósito, a cura da alma e os objectivos a cumprir, pois nesta vibração está profundamente ligada ao universo e ao sentido da vida. Numerologicamente,  pede-nos que sejamos solidários, tolerantes, disponíveis, generosos, compassivos, altruístas… também apela a fazermos resgates do nosso karma, ou seja, cada um  passar por processos de transformações interior, onde é imperioso refletir e efetuar um balanço, deixando para trás o que não interessa, com desapego, desprendimento, perdão e amor incondicional, contribuindo para um mundo melhor. Ao mesmo tempo, é-nos pedido um alinhamento com o que escolhemos vir fazer nesta vida.

Por: Helena Sousa

Numeróloga |https://www.facebook.com/Autoconhecimento9/?fref=ts

 

butterfly-1611794_640

Intuição | A verdade que habita no invisível!

Todos nascemos com a consciência da visão espiritual, todos sem excepção, quando nascemos neste mundo trazemos a clara consciência que chegamos para uma nova aventura, e é sempre nova, não importa quantas vezes foi vivida.  Mas com o tempo, a memória vai fechando para alguns, vai-se afunilando para outros, até parecer ser uma certeza tão distante que é esquecida.

O invisível para a maioria comporta o medo, do medo do que não sabem, não vêm com os olhos humanos, mas que é apaixonante com os olhos da alma. O invisível comporta a nossa hierarquia Angélica, e todos sem excepção, todos, com mais ou menos consciência, quer acreditemos quer não, temos uma, e a nossa hierarquia comporta toda a sabedoria do nosso Eu mais profundo, mais fidedigno, mais sábio, mais ancestral, o mais estelar do que somos.

O invisível comporta tanta ou mais vida – a verdadeira energia de vida – do que no visível. Então o invisível carrega a nossa aprendizagem de vida, o nosso caminho, o nosso propósito. Permite o acesso às várias dimensões que somos e ao tanto que vivemos ao mesmo tempo. A verdade que habita no invisível é a nossa verdade interna.

Afinal o invisível é o mais visível de nós, porque lá não há nada a provar, já somos e principalmente sabemos que somos.

O invisível não é segredo, é acessível através da nossa imaginação, através de voltarmos a ser crianças e acreditar, é acreditar na vida e que ela é mágica. É validar a intuição que sagazmente e amorosamente nos vai dizendo o caminho, nos vai expandido a mente e o coração de encontro a este invisível que faz também em si parte da nossa alma.

Acreditar no invisível, porque mesmo quando não vemos sabemos que esta lá, é acreditar em nós. Será que o invisível é assim tão invisível, uma vez que ele está a acontecer mesmo à frente dos nossos olhos?

Por: Filipa Fautino

omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

img_1358

Retorno à Mãe! | Quais são as tuas origens mais profundas?

img_1358Retornar às origens do Ser, é retornar a uma profunda conexão com a natureza, com os ciclos da chuva, com o ciclo do Sol, das estações e da Lua.

Sabes onde encontrar a verdadeira conexão?

Qualquer mulher é em si mesma, todos estes ciclos com o seu ciclo pessoal; é importante manter uma conexão clara e consciente sobre a forma como cada um dos ciclos funciona, sobre cada uma das vontades e saber que tudo faz parte. A conexão suprema é dada na natureza, por isso existe uma realização interior quando vemos o mar, a serra, as florestas, o nascer do Sol, existe em nós uma memória antiga e paralela na consciência de tempos imemoriais onde éramos plenas com a estrutura da mãe terra.

É necessário e urgente para a sobrevivência emocional voltarmos a essa conexão, é ela que preenche a alma e nos dá a consciência da evolução. É onde não há nada a provar e onde sentimos que verdadeiramente fazemos parte, porque fazemos; nenhuma de nós está aqui por acaso e nenhum é mais importante que o outro, todos juntos fazemos a mais bela paisagem universal.

Exatamente como vemos refletida na natureza, é necessário compreender a importância estar em contacto com o coração da mãe terra; estamos, na realidade, a entrar em profundo contacto com toda a nossa estrutura emocional e passional, acordando o coração para um tempo novo. É a unificação das deusas que somos aqui e agora nesta estrutura energético-terrena com o Anjo que somos na estrutura energético-espiritual que nos faz avançar mais rápido no nosso processo de amor universal, que usualmente chamamos de ascensão.

Conheces a importância de estar em contacto com a Natureza?

A consciência da importância de fazer parte da natureza, seja abraçando uma árvore, que nos traz a sabedoria; seja apreciando uma paisagem que nos eleva a alma, seja qualquer outro contacto com estrutura original, vai no nosso divino e devido tempo levar-nos à iluminação. Há clara consciência que somos todos um. Nesta consciência de unificação-iluminação expandimos a nossa consciência de alma e logo expandimos a nossa consciência mental, exponencialmente, muito mais do que em qualquer outro momento da nossa vida.

É só querer ter consciência! É só querer ser verdadeiramente Felizes, e tudo acontece!

Por: Filipa Fautino

omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

sleep-835468_640

Terapeuta, sim ou não? | A escolha do caminho energético!

sleep-835468_640Quando te levantas de manhã, o que queres ser?

Todos nós escolhemos todos os dias o que queremos ser, onde queremos estar e como queremos que a vida nos brinde com as múltiplas bênção e novidades que vem trazendo ao nosso dia. Todos fazemos esta escolha através do nosso sistema coração-pensamento.Tal como todos os dias todos nós consagramos a nossa vida a alguma coisa, a algo, a alguém, a um projeto, a uma profissão. É sobre o processo de Consagração da nossa energia que vamos falar hoje.Eu, consagro a minha energia à Luz, ao trabalho de evolução, de ascensão com os Anjos e Arcanjos, esta é a consagração da minha vida, que penso, que sinto e que respiro mesmo antes de nascer como Filipa. Consagro em primeiro lugar à minha própria evolução e ascensão, trabalho incessantemente em mim para assim puder ir mais longe na minha função como mensageira angélica.

Como facilitadora e orientadora em todas as funções que os Anjos me encarregam, a verdade é que compreendo claramente a importância do meu trabalho e tenho um grande respeito e responsabilidade naquilo que faço e naquilo que digo. Tenho uma grande responsabilidade sobre a Luz que emano, para que seja sempre a mais pura e sagrada, não permitindo que entrem dentro da minha consagração pensamentos e projeções alheias. Ao Consagrarmos a nossa energia a algo estamos claramente a definir quem somos, e que queremos ser ao Universo. Estamos a estabelecer limites para a interceção de matrizes e logo de pensamentos, padrões e comportamentos que não tem origem em nós enquanto estrutura original. Estamos à partida a purificar a nossa energia de tudo o que se calhar até ontem fez sentido mas hoje já não faz.

Sabes que és energia, a mesma energia que criou todo o Universo?

Chama-se evolução, a decisão consciente do que queremos Ser, vibrar, alimentar dentro da nossa Alma.Se somos energias únicas, temos a obrigação de honrar a nossa energia, de ouvir-mos o nosso coração, todos têm sempre uma opinião a dar, porque cada um vibra na matriz que criou. Mas, quem cria a nossa matriz somos nós e apenas nós, então vamos consagrá-la ao que nos faz felizes, ao que nos traz amor ao coração. Vamos honrar a nossa energia e deixar que ela nos traga a nossa Sabedoria única.Então consagramos a nossa energia ao Amor e à nossa Sabedoria, e é nesse preciso momento que surge a iluminação e te garanto que és verdadeiramente feliz!

Com Amor,

Por: Filipa Fautino

omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

dark-1853922_1920

Evolução Espiritual | E se acreditasses mesmo na Luz?

dark-1853922_1920E se todos nós acreditássemos verdadeiramente na Luz?

A verdade é esta, se somos todos criadores dentro da nossa vida, se toda a experiência que se manifesta à nossa volta foi criada por nós consciente ou inconscientemente, se acreditássemos verdadeiramente que apenas a Luz existe, apenas a Luz teria a capacidade energética de se manifestar perante nós.

E que é a Luz, que significa esta Luz?

Para mim confiar totalmente na Luz, é confiar na vida, é saber que os Anjos tudo trazem e de tudo cuidam, é saber que sou divinamente amada e amparada. A Luz é a energia Universal que nos criou e para onde voltaremos.

Esta consciência dá-nos um poder imenso. Dá-nos o poder de compreender que realmente só existe na nossa vida aquilo que damos força, que acreditamos que pode afetar-nos seja a nível positivo ou menos positivo. Se acreditássemos verdadeiramente e totalmente na Luz e no Amor, seriamos pilares de Luz e Amor na terra.

Ancoraríamos através da nossa consciência e do nosso poder criativo uma nova dimensão de amor no aqui e no agora, na terra, nas experiências que todos neste plano passam, porque a bem somos matrizes em interação plena, então se a nossa matriz pessoal vibrasse com a plenitude de um pilar de Luz e Consciência, todas as matrizes que de uma forma ou outra, se cruzarem com a nossa seriam banhadas pela imensa Luz e apenas a Luz surgiria desse contacto.

Que fazemos neste planeta, qual a nossa missão?

Estamos neste momento na Terra a expandir a consciência para albergar a compreensão total de que apenas a Luz existe, de que, até no átomo mais infinito da escuridão tudo é Luz, porque tudo é Luz e tudo voltará para a Luz. Estamos a nível evolucional a crescer para que possamos compreender a graciosidade e a grandiosidade de todo este processo.

Quando aceitamos que tudo é Luz, abrimos a nossa vida a uma plenitude de experiências completamente diferentes do que vivemos até ali, quando aceitamos que até a nossa sombra também é Luz, elevamo-nos e permitimos que a nossa angelidade mais uma vez, se manifeste, e talvez, um dia destes, quando todos nós, nos permitirmos sermos profundamente conscientes, talvez, todos nós consigamos ver uns nos outros o Anjo que verdadeiramente somos.

Se acreditamos verdadeiramente na Luz, todos nós já somos divinamente livres.

Por: Filipa Fautino

omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

 

rain-1563957_640

Energia do Dinheiro | Sentes a energia do dinheiro na tua vida?

rain-1563957_640O dinheiro é uma energia sagrada.

Tão sagrada quanto o amor que temos no nosso coração, o amor que temos pela natureza, ou pelo que sentimos, pelas pessoas ao nosso redor, é algo tão sagrado quanto o altar que construímos para honrar a grande Deusa ou outra divindade que faça sentido para nós. O problema do dinheiro não está no dinheiro, mas na relação que temos com ele: é muito comum encontrar pessoas que não gostam de dinheiro ou que não compreendem como é que alguém pode ter dinheiro ou enriquecer. Tudo depende da relação que temos com o dinheiro e da importância que lhe damos.

Se a nossa relação com o dinheiro for de necessidade, naturalmente que ele em vez de ser abundante na nossa vida será escasso, haverá sempre imensas contas para pagar, haverá culpa na sua utilização e haverá desapego negativo desta energia.

Quando a nossa relação com o dinheiro é uma relação ingrata, não podemos estar à espera que a resposta energética seja boa, será naturalmente muito negativa. Temos de ver em nós os padrões de escassez e trabalhar neles por forma a alterar estes padrões para atrair de forma positiva a abundância e prosperidade para a nossa vida (que nem sempre vem em forma de dinheiro, pode vir em forma de experiências enriquecedoras de alma).

Quando começamos a ver o dinheiro como algo sagrado compreendemos que o dinheiro faz parte deste mundo como um meio de atingir um fim, isto é: é o que nos permite, normalmente, comprar o que necessitamos para ter o conforto material que precisamos para viver neste mundo. Enquanto existir sentimentos de culpa, rejeição e banalização do dinheiro, este não se vai sentir bem vindo na nossa vida, até porque ao pensarmos/emanarmos esta energia estamos a dizer ao universo que não estamos disponíveis para o receber.

Como devemos sentir o dinheiro?

Se pedimos ao universo coisas boas e consideramos que o dinheiro não é algo bom então o dinheiro não vai entrar na nossa vida. O dinheiro é uma energia e é como lidamos com ela que faz com que seja abundante ou não no nosso universo pessoal.

Olhar para o dinheiro e tentar descodificar os sentimentos que temos por esta energia é um importante passo para a cura da prosperidade e abundância na nossa vida, depois aos poucos transformar de forma consciente estes padrões negativos por padrões positivos e a prosperidade crescerá na nossa vida naturalmente. Pois a energia que emanávamos para o universo relativamente ao dinheiro é uma energia que não será emanada mais e sim uma energia transformada em disponibilidade e aceitação da função do dinheiro aqui no planeta. Isto aliado a uma gratidão plenamente consciente tem o resultado do ancoramento da energia do dinheiro na nossa energia como algo natural e bom. E a prosperidade e abundância será uma constante na nossa vida.

Por: Diana Faustino

Sacerdócio do Sagrado Feminino | http://sersagradofeminino.wixsite.com/sacerdotisas

 

adler-339128_1920

Auto Conhecimento | A liberdade para ser começa dentro!

adler-339128_1920

Ouço inúmeras pessoas a dizer, não sou livre por causa da minha família, por causa do meu trabalho, por causa disto, por causa daquilo.

Mas a realidade é que sendo livre dentro de nós – com a ousadia de correr “nus” dentro de nós mesmos – somos completamente livres em tudo na nossa vida, sejam quais forem as circunstâncias.

Mas a verdade é que muito poucos de nós ousam percorrer-se, ousam olhar-se profundamente, há uma falsa crença generalizada que é difícil olhar para dentro de nós mesmos, mas não é, é fácil, é leve e é divertido, e quanto mais ousamos olhar, reconhecer, nutrir o que somos, mais as máscaras que usamos se desvanecem sem tempo-espaço.

Desvanecem-se as máscaras com os outros, mas principalmente e o mais importante desvanecem-se as máscaras para connosco mesmos, não temos o direito de nos enganar a nós. Nós somos Anjos-Deuses em manifestação, não temos o direito de negar a nossa origem, a nossa herança espiritual e fingir que somos menos do que somos.

Ousar mergulhar dentro de nós, é encontrar um cosmos pessoal, gigantesco, cheio de surpresas, cheio de vida. Nós somos uma imensidão: de sabedoria, de experiências, de consciência. Há algo que todos nós já ouvimos, o silêncio do nosso corpo, que por vezes é tudo menos silencioso, mas é o nosso silêncio, e o nosso silêncio é para ser honrado e respeitado.

É o momento de nos pararmos de entupir com tudo o que nos é lançado, é o momento de parar e sentir – pensar, já pensamos demais, já foi o tempo, agora, é tempo de sentir, é tempo de entregar o controlo e sentir.

Sentir eleva-nos! Sentir o nosso silêncio, com tudo o que ele contêm, torna-nos verdadeiros sábios! Sentir a nossa sabedoria, é sentir que humildemente apesar de tudo o que somos, tudo o que sabemos, afinal não sabemos assim tanto.

Se somos um cosmos enorme dentro de nós, é altura de mergulhar e reconhecer cada uma das nossas estrelas, só poderemos um dia, ser sábios lá fora, quando dentro de nós já reconhecemos a imensidão do silêncio que nos habita. Então aí, almas amigas, seremos verdadeiramente livres!

Com amor,

Por: Filipa Faustino

Founder Filipa Faustino Angel Method®

fullsizerender-2

Xamanismo | A batida do Tambor!

                                    fullsizerender-2

Talvez goste de descomplicar e para falar do tambor, vou falar do que ele é para mim esquecendo todas as suas características históricas e ritualísticas que rapidamente através de uma pesquisa se pode conhecer.

O tambor tem o som do silêncio!

O tambor tem a fluidez e a persistência do vento!

O tambor tem o som da criação! Assim que ouvi pelo coração as primeiras batidas e aceitei a reacção energética consequentemente, foi rápido até aceder a mais umas quantas características de alma e a um enraizamento mais que necessário.

Mas este era só o princípio de uma viagem que mal começou e segundo as previsões, jamais irá terminar.

Descobri o meu grito, a minha dança, a minha melodia e a minha armadura quando percebi claramente aquilo que é o tambor. 

O tambor é uma experiência pessoal. Ele activa na individualidade a semente que um dia me permitirá alcançar uma espécie de unidade com tudo aquilo que me rodeia.

O tambor traz a voz da Liberdade! Traz o canto da saudade e traz um mergulho na nulidade, aquela Nulidade que permite aceitação e transmutação, revelação e criação!

Falo de um contacto muito próximo e claro com a voz da Terra e do Céu! Com a voz de tudo aquilo que tem vida!

Não creio que hajam palavras terrenas que possam materializar a linguagem da alma, e por mais que o tambor seja algo fisicamente definido, perdem-se todas as definições quando nos permitimos conectar ao mistério do seu som.

É preciso permitir. É preciso permitir a consciência desta medicina.

A linguagem que advém das batidas do tambor pode ser brusca na constatação do meu ser cru. Este som não permite máscaras a quem o quiser ouvir e sentir. Somos confrontados com um qualquer trabalho interno – nem sempre fácil – a ter que ser cumprido! Não é fácil quando constatamos o que temos a “limpar” dentro de nós e o som do tambor é tão somente um empurrão carregado de coragem!

É um empurrão frio e precipitado que não deixa de dar coragem para acordar as asas que nos salvarão da aparente queda! Aparente…

Claro, que há outras mil formas de aprofundarmos o auto conhecimento mas quem me trouxe as respostas às mais angustiantes perguntas existenciais foi este cavalo, ou se quisermos, o tambor.

Passei a utilizar esta ferramenta para trabalhar as questões internas. Passei a tocar tambor para poder ter um outro alcance e visão não só dos meus processos como dos de quem me procura em sessões terapêuticas.

Este foi um novo braço. O braço que liga a carne ao espírito!

Por: Tiago Bastos | https://www.facebook.com/Chakra-Arco-%C3%8Dris-1707552729477455/?fref=ts

fullsizerender-1

Manifesto | Experiência vs Sentir

fullsizerender-1Entretanto lá fora surgem gritos de batalhas inacabadas. Surgem gritos ocos por resistências oferecer… Surge a falta de Confiança aliada à falta de visão do Novo…

Até que ponto me permito aprender?! Até que ponto estou preparado para que as Lições venham de quem não percorreu a maratona dos anos?! Até que ponto fico ferido por perceber que há lição para aprender de quem não teve que passar pela minha escola pessoal da dor para elevar a Consciência?! Até que ponto ridicularizo em silêncio a manifestação divina alheia por não conceber que quem tem tenra idade não tem experiência de vida?!

Qual a parte de mim em que a Sombra tece agoniantes comichões traduzidas num ataque a quem por Liberdade e Confiança fala?!

Será que estamos preparados para a grande massa de seres que chegam ao planeta com a Consciência activa e que não tiveram que percorrer a estrada da frustração dos velhos do Restelo?

O Velho do Restelo, personagem retratada por Camões, está bem vivo até hoje. Está incorporado nos que acham que a sua dor foi a maior de todas, e por isso o seu sofrimento é tão sagrado que lhes confere a falsa ideia de iluminação. A questão é mesmo essa: falsa ideia de iluminação. Se hoje ainda chamo dor ao processo “escola de evolução da minha alma” então terei esquecido a regra básica: a Alquimia.

O Alquimista transformou a palavra dor em flor!

Sem esta regra básica estar integrada não há passagem do nível 1 do curso do Amor. Se ainda falo em dor do passado no presente, então que tenha essa clara noção e possa hoje, passar para o nível 2.

Que se saiba aceitar quem tem o Nada para ensinar.

Que permita baixar as orelhas do ego para aprender de quem nem um livro leu, de quem não atravessou a maratona dos anos, porque afinal de contas a essência não tem idade!

Repetindo: … a essência não tem idade!

Continuamos a ser como em todas as outras vidas… a achar que idade é posto de sabedoria! A achar que a minha história de vida se sobrepõe àquela de quem não a experienciou…

Continuamos a dizer em silêncio: cresce e aparece!

Continuamos a não permitir ouvir!

Continuamos a ficar doloridos quando quem não tem experiência de vida terrena chega e fala algo que demoramos anos a conquistar!

Por um lado abrimos as portas do conhecimento quando assumimos o papel de professor catedrático da escola do Amor, mas quando uma nova lição nos chega à porta na boca de miúdos o ego do velho corpo fica ressentido, quiçá furioso, quiçá gozão!

Não há fluidez assim… Não há nada com nada! Só há uma tremenda confusão!

Há uma nova geração de Guerreiros prontos para a Guerra que se escusam de livros ou de cursos floriados pois eles possuem a chave de acesso directo ao coração, como se fossem novos modelos da espécie humana, modernizados para a era que vivemos. O mesmo acontece com tudo o que o homem fabrica. O produto de 1950 hoje é um clássico e tanta beleza tem um clássico. Houve também espaço para a modernização e qualquer produto fabricado pelo homem sofreu bastantes alterações até 2016. Outros tantos foram inventados. Quantas pessoas há que resmungam pelo avanço dos tempos dizendo que no tempo delas é que era?!O mesmo acontece no mundo da iluminação misturada com o sofrimento onde o ser clássico se arrepia com o ser contemporâneo.

É aqui – e com alguma frequência se vê este comportamento – que a coerência entre o que falo e faço tem que acontecer, pois os resultados da falta desta reflexão trarão consequências a curto prazo.

Estaremos preparados?! Há tempo desde que me permita à Consciência e à entrega literal do meu Ser aos elementos Fogo e Ar…

Ouçamos as crianças das tribos de Lá que já chegam a debitar Informação!

Viva ao Povo das Estrelas!

Viva à Promessa que se cumpre a olhos vistos!

Que cheguem mais e mais Professores!

Que os Velhos do Restelo se permitam sorrir e aceitar o Novo pois esse é o seu actual desafio.

Que possamos permitir!

 

Por: Tiago Bastos | https://www.facebook.com/Chakra-Arco-%C3%8Dris-1707552729477455/?fref=ts

children-1582753_640

Casualidade ou nem por isso! | Porque é que nada acontece por acaso?

children-1582753_640O que acontece à minha volta afecta a minha existência?

Todos somos parte integrante, importante, profunda do criador Deus-Deusa em experiência na matéria, nenhum de nós é mais ou menos importante que o outro, todos temos o nosso propósito e caminho próprio. A evolução de cada um de nós é a evolução de todos, é a evolução de todo o universo, de toda a energia de Vida que anima e habita este plano a que chamamos Terra, e este universo que chamamos Cosmos.

O nosso propósito enquanto Seres Individuais em experiência na matéria é na realidade o propósito de todo o Universo, porque todos os nossos propósitos individuais de aprendizagem de ascensão são na realidade o propósito da Unidade.

Eu escolho o que acontece comigo?

Todos escolhemos estar aqui neste preciso momento. Escolhemos quando queríamos nascer, tal como todos já escolhemos quando partiremos de volta à consciência total, a que eu pessoalmente chamo casa. Esta consciência, a que chamo Consciência Da Escolha traz uma paz profunda aos processos que vivenciamos durante a vida. Se escolhemos acontecimentos tão importantes como o nascimento e a morte, também escolhemos as pessoas que mais no magoaram durante a vida, escolhemos para que aprendêssemos algo, algo precioso para a nossa Alma, algo que não poderia ser aprendido de outra forma.

Então antes de pensarmos em perdoar o outro, temos que nos perdoar a nós mesmos por essa escolha, então conseguiremos perdoar os outros e seguir em frente com experiências mais luminosas e nutridoras para a totalidade do que somos.

Porque escolho ter experiências menos boas na minha vida?

Mas, as almas que magoamos também nos escolheram a nós para representar-mos esse papel, porque era importante para a evolução delas, e nós, como Almas companheiras, aceita-mos. Então temos que nos perdoar por toda a dor que causamos ao outro e a nós mesmos ao representar esse papel, e a aprendizagem da Alma a que magoamos, será também a nossa aprendizagem e a nossa evolução.

Então na realidade todos estamos numa representação de papéis, mais ou menos fáceis, mais ou menos bonitos, todos estamos a representar o papel que é perfeito para a nossa evolução e para a evolução de quem nos rodeia. Todos juntos somos uma grande teia de consciência, todos juntos conseguimos chegar mais longe, mais alto, conseguimos, reconhecer mais de quem somos, porque nesta representação de papéis individuais, tangemos a consciência da Unidade.

Por: Filipa Faustino

omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

IMG_5326

Xamanismo | Que significa realmente a palavra Xamanismo?

IMG_5326Sabemos realmente o que significa Xamanismo?

Retirando nomes complicados que chegam à mente do simples cidadão, como a ideia de seita, religião ou pessoas que tem a mania que são índios, o Xamanismo nada mais é que uma palavra que define conexão.

Conexão à vida, à morte, às estrelas, às ondas, às árvores, ao vento, ao Universo, à Terra, etc etc etc…

Xamanismo é o querer saber de mim sem qualquer nome ou forma associada. Xamanismo é mais uma palavra como tantas outras que pedem que olhes para ti, alcançado a dimensão do Nada.

Xamanismo ou Ser podem ser a mesma palavra desde que Ser se manifeste com Consciência.

Consciência é a porta que abre a visão e o sentir da Conexão.

Consciência é o Xamanismo e o Xamanismo é possuir Consciência. Consciência de que em mim residem as mesmas partículas que fazem nascer planetas. Consciência de que eu sou o Ar, a Terra, a Água e o Fogo em movimento. Consciência de que no Aqui e Agora eu sou a mais pura manifestação de todo o Universo. A Consciência que abre portas da criação pelo perdão, pela superação, pela aceitação e pela integração de todos os processos presentes na minha vida tendo a capacidade de lhes retirar os conceitos mentais e de activar a sua lógica emocional.

Lógica emocional também é Xamanismo, pois é essa mesma lógica emocional que aplicada à compreensão da minha vida, um dia me permitirá olhar para fora e ver que tudo é uma coisa só pela forma e lógica como tudo está ligado.

Se amar o planeta, abraçar uma árvore e lhe dizer obrigado, se falar com o vento e achar  que ele me dá a próxima direcção a tomar na minha vida, se chorar a olhar para uma estrela amarela por ter saudades é Xamanismo, então Xamanismo é só Ser e nada mais.

Viver o Xamanismo, é estar conectado à verdade?

Retirando todas as palavras que definem formas de estar poderei perceber que as mesmas limitam o que não tem limites: a expansão.

O Xamanismo defende a expansão de todo o meu ser para que perceba que tal como o Universo sou infinito.

O Xamanismo devolve a qualquer ser humano a Verdade. A Verdade da criação, a Verdade da conexão, a Verdade do Estar e a do Ser.

São quatro as direcções, são quatro as estações do ano, são quatro os elementos que na Roda da Vida se encontram.

O Xamanismo activa na nossa lembrança mais profunda o conhecimento desta Roda para que eu me possa encontrar cada vez que ouço os ciclos da Natureza falarem.

Ser em profundide e Verdade, Estar em Consciência e gratidão são formas simples e profundas de estar em conexão. Se lhe quisermos chamar Xamanismo por nelas reconhecermos que todos os seres vivos também estão, então assim é o Xamanismo.

Por: Tiago Bastos | https://www.facebook.com/Chakra-Arco-%C3%8Dris-1707552729477455/?fref=ts

 

girls-407685_640

Queres dar o Salto? | Adeus Velho, Olá Novo

girls-407685_640 Novos inícios requerem sempre libertação de algo. Sair ou deixar algo para trás conduz-nos a uma libertação de peso emocional, físico e naturalmente espiritual.

É um acto de coragem abandonar velhas roupagens, abandonar coisas que já não tinham mais forma de nos nutrir a todos os níveis.

É neste momento que o nosso amor próprio se faz sentir mais na nossa pele, porque para tomar tal decisão tivemos que nos colocar em primeiro lugar. Houve a necessidade de tomar decisões, de usufruir do nosso poder pessoal masculino de forma a superar medos, dúvidas, receios e abrir a porta das oportunidades que à muito gritava para que fosse aberta.

Mas nós, simples humanos só percebemos quando chegou o “nosso tempo” (normalmente quando nos sentimos numa encruzilhada) de fazer tais mudanças.

Todos nós, sejamos mulheres ou homens temos forma de nos reinventarmos constantemente, existe uma transformação constante na nossa vida e uma reconstrução profunda da nossa postura perante o mundo e perante nós mesmos, temos em nós a possibilidade de renascer constantemente.

Quando a nossa criatividade pára, quando deixamos de sonhar, a nossa vida claramente vai parar também.

O espírito manifesta-se, o controlo tenta controlar, mas a insatisfação leva-nos a tomar atitudes: abrimos a nossa vida a um mundo de oportunidades brilhantes e reluzentes que estão à nossa frente, contudo muitas vezes não as vemos à primeira. Então mantemo-nos na zona de conforto, até ao dia que a zona de conforto não nos oferece nada de novo e mesmo cheios de medos e dúvidas decidimos voar.

E é precisamente neste momento que escolhemos o nosso bem estar, que começamos a ver além do véu do comodismo. Do mesmíssimo. E damos o salto de fé, o coração bate mais forte, existem sentimentos antigos e dolorosos que vêm ao de cima, mas mesmo assim… alguém nos sussurra ao ouvido que tudo vai correr bem e saltamos. Vamos para o desconhecido.

E como sabe bem este desconhecido. Se não correr bem, vale pela aprendizagem e mestria de fazer com que na próxima corra melhor. Se correr bem, vale pela aprendizagem e mestria de correr riscos em prol dos nossos sonhos.

A vida é uma aventura alucinante. Abre-te ao novo e liberta o que já não te serve.

Por: Diana Faustino

Sacerdócio do Sagrado Feminino | http://sersagradofeminino.wixsite.com/sacerdotisas

1m

O que é o Munay-ki? | Munay-ki: o legado Amoroso dos Andes

1mMunay-ki: o Legado Amoroso dos Andes

No alto das montanhas Andinas, a ancestralidade de um povo único é soprada pelo vento que, numa voz silenciosa, revela o poder dessa sabedoria. Esse povo ancestral é conhecido pelo nome Q’ero, o Povo da Aldeia das Nuvens, os descendentes dos Incas.

Os Q’ero formam uma tribo com cerca de 600 pessoas, cujos ancestrais refugiaram-se nos Andes Peruanos, para além dos 4000 metros de altitude, para escapar ao flagelo da colonização espanhola. Durante cinco séculos viveram isolados, preservando as suas tradições e rituais. Cumprindo as profecias sagradas, os Guardiões da Sabedoria partilham, neste tempo de mudança, a sua forma de ver e de estar no mundo e o modo como alimentam e curam o espírito. As profecias referem-se ao fim do tempo como nós o entendemos – a morte de uma maneira de pensar e de ser, o renascer e o resgate da relação do Homem com a Terra. Os Q’ero acreditam que este é o tempo do encontro e da reintegração dos povos das quatro direções e sabem que é no amor e na compaixão que se irá gerar a força motriz dessa união.

A mensagem deste povo traz-nos a informação necessária à construção de uma Nova Consciência baseada na Unidade e na restauração da harmonia do Homem com o mundo que o rodeia. Pelo mundo todo, são já muitas as pessoas que se dedicam ao estudo e à prática da Medicina Energética Andina, enraizada na tradição Q’ero.

Alberto Villoldo, antropólogo e fundador da Four Winds Society é um dos grandes impulsionadores desta energia no Ocidente. Após contato direto, rendeu-se à forma de estar e de ser deste povo, estudando a sua vertente xamânica. Em 2006, e com a autorização dos Xamãs Q’ero, criou o Munay-ki – um conjunto de nove Rituais de Iniciação adaptados, versões mais simples de alguns dos ritos tradicionais, para que a sua essência fosse facilmente partilhada pelo mundo.

O Munay-ki chega a Portugal em 2011, num primeiro encontro de parceria entre mim e Terri van Ommen. Nasceu assim a Munay-ki Portugal, que desde então tem realizado vários encontros, iniciando outras pessoas nesta energia.

O Munay-ki desperta-nos para uma nova perceção, em que a visão é filtrada pela energia do centro Munay – o coração. Através das transmissões energéticas e da experiência sensitiva, o iniciado recebe a vibração de cada ritual. A energia transmitida, e ancorada no corpo luminoso, traz nova informação e efetua ligações ao nível da consciência. Permite a religação do Ser à sua mais pura essência, despertando a manifestação de toda a Criação e o reconhecimento de que se é cocriador deste mundo. Cabe a cada iniciado nutrir as sementes energéticas depositadas e abrir o coração a esta riqueza ancestral, mantendo-a pura e genuína.

A energia Munay não se resume a uma emoção ou sentimento. É sim uma fusão de energia do nosso coração com a semente Inka – a ligação à consciência primordial da Criação, essa vibração presente em tudo aquilo que É – o Amor. Para que esta ligação se dê, há que existir entrega. Entrega de quem recebe e de quem transmite os rituais. Em consciência e em Ayni. Este é o alicerce da tradição mística Andina. Só assim, a energia conectada com a intenção alinha-se com o propósito em foco.
Trabalhar com esta energia traz-nos a total rendição do Eu pela fusão com o Todo. É antes de mais um trabalho de mestria com o nosso campo de energia Luminosa e com a interação de energias que estão “fora desse campo”. Há que fazer primeiro um trabalho individual. Um mergulho em si, na energia, na tradição ancestral. Reconhecer, abraçar e integrar esse processo é um verdadeiro ato de empoderamento que permite expansão de consciência numa correta relação de reciprocidade com a energia vivente do Cosmos. Mas é preciso esse abraço, esse reconhecimento. Ao se ser iniciado no Munay-ki assume-se o papel de Guardião da Terra. Um Guardião caminha com a consciência de que é parte ativa na transformação da sua vida e na dos outros. Age reconhecendo a sacralidade em si e nos outros e vive em estreita ligação com a Natureza, sentindo as suas forças.

Um Guardião alinha as suas ações segundo a energia nuclear da tradição Andina – o princípio Ayni. Manifesta de forma pura as suas intenções, constrói o seu caminho, de forma autónoma, respeitando as palavras, os símbolos e os rituais da linhagem que lhe suporta.
Receber esta informação, na sua mais pura essência, exige de nós o compromisso de a honrarmos e respeitarmos. Transmiti-la é um trabalho de consciência e responsabilidade.

A nós apenas nos resta permitir o reencontro e recordar aquilo que esquecemos, conscientes da potencialidade e sacralidade deste legado.

Por: Helena Pereira

Xamanismo Andino |  Contacto: helenadaponte7@gmail.com

ascension-1568162_640

Anjos, Guias, Seres Luminosos | É simples, é só Viver o Amor

ascension-1568162_640No meu caminho tenho observado que as pessoas valorizam as coisas complicadas, valorizam coisas em que têm que ter muito trabalho para ter, para evoluir, muito trabalho para materializar, muito trabalho para valorizar ou “simplesmente fazer acontecer”. A verdade é que os Anjos, Guias, Seres Luminosos e conscientes que nos guiam e que nos ajudam a caminhar trazem leveza, e eles trazem leveza porque são simples, porque não complicam, porque dizem preto no branco: “é assim”. Mas nós habituados, neste plano, a complicar continuamos a dizer “mas como é que só agradecendo ao meu anjo ter manifestado determinada coisa, ela acontece? Não tenho que acender uma vela e fazer um ritual de 9 dias e mais qualquer coisa?”.

Como se manifestam os Anjos na nossa Vida?

A verdade é que não temos que “fazer” nada, só temos que acreditar e é tão fácil ter Fé, a Fé é a estrutura de toda a espiritualidade, é a estrutura de qualquer religião, mas também a estrutura de cada Ser. A Fé em quem somos, a Fé que somos parte muito amada de Deus-Deusa e como tal pudemos manifestarmo-nos conscientemente aqui e agora e crescer, expandir.

Afinal para “fazer acontecer” basta Ser, e Ser é ter Fé. Qualquer coisa que acontece no nosso plano material, nós, enquanto parte integrante e válida de Deus-Deusa, projetámos-la antes, e ela acontece porque existiu em nós, consciente ou inconscientemente uma força que disse ao universo inteiro: “isto é assim”.

A humildade da materialização passa por compreender-mos humildemente a nossa perfeição, a perfeição de cada ser que está à nossa volta e logo a pura perfeição de cada experiência que acontece e se multiplica por partes infinitas do eu. Passa por assumir a grandeza do poder criador que existe inerentemente em todos os seres e em cada parte mais ínfima de todos esses eu’s que compõem o Ser.

Como posso conectar-me aos meus Anjos?

Os Anjos são simples, porque eles reconhecem em cada um de nós esta perfeição, esta humilde grandiosidade, porque nos reconhecem enquanto parte perfeita deles mesmos, ao ouvir-nos, ao amparar-nos, ao amar-nos incondicionalmente, ele ensinam-nos enquanto partes perfeitas dos seus eu’s. Eles ensinam o Amor, não o amor que conhecemos mas um Amor muito além do que neste plano chamamos de incondicional; um Amor para que todos neste plano estão a ser preparados.

O Amor de onde vimos e o Amor para onde voltaremos. Porque se não existe nada mais além de Luz, a verdade é que também tudo é Amor em ação.

Sim, é simples assim, é só abrirmo-nos ao Amor, é só fazer tudo em Amor.

Por: Filipa Faustino

Founder Filipa Faustino Angel Method