Ancestrais | Honrar as Ancestralidades!

O que significa ser ancestral?

Todos nós, sem exceção, somos seres ancestrais em vários níveis e direções. Somos seres ancestrais porque somos uma imensidão de vida, de tempos, de dimensões, de experiências e aprendizagens, vivemos já, centenas de milhares de personagens, com características, evoluções e expressões físicas, mentais, emocionais e espirituais diferentes. Somos almas-espíritos ancestrais porque trazemos a consciência da evolução, porque, podemos até não saber o nosso propósito, mas sabemos que estamos aqui para evoluir, no matter what.

A consciência da ancestralidade de alma, abre-nos, imediatamente a uma consciência superior. É necessário num primeiro instante, libertar a rigidez, connosco mesmos, a rigidez mancha a nossa estrutura e corta qualquer ligação à nossa espiritualidade. Sermos exigentes e rígidos connosco mesmos, não é, de todo, um ato de amor. A nossa estrutura só evoluí com amor e pelo amor. Tudo o resto machuca e desonra a nossa ancestralidade.

Mas, somos compostos por mais ancestralidades, somos também feitos pela nossa ancestralidade familiar: os pais, avós, os bisavós, trisavós e por aí adiante. Tudo o que somos, é escolha nossa e devemos honrar essa escolha. Tudo o que somos, é, num primeiro patamar a unificação entre a nossas ancestralidade de alma e a nossa ancestralidade familiar, então, compreendamos, que existe sempre em nós, muito para ser, para curar, para amar, para descobrir.

Mais uma vez, o primeiro passo para libertar, – sejam os dons, sejam os padrões da ancestralidade familiar em ti, – é amar e honrar, cada pessoa que fez parte dessa experiência. Honrar e amar, compreendendo que todos fizeram sempre o melhor que sabiam e podiam, dadas as circunstancia dessa experiência. A tua experiência enquanto alma, enquanto ancestralidade espiritual, promove a vivência, o reconhecimento e a libertação mais profunda de determinada estrutura familiar. Ao libertar, libertará todos os teus descendentes, partes de ti, a nível espiritual.

O que acontece quando libertamos?

A consciencialização permite, que uma partícula que é criada depois, seja sempre mais consciente, muitas vezes com coeficiente amplificado a centenas de vezes `mais que a partícula criadora. Esta compreensão, levar-nos-à, a um momento em que nossa partícula descendente, que também somos nós em vivência, permita que existamos infinitamente.

A unificação das consciências da ancestralidade, seja ela de que direção for, só é possível com o honrar dessas energias-estruturas-formas de manifestação e ser. Existe sempre uma razão energética para qualquer tipo de atitude. A compreensão desta característica, permite o ser ler entre as linhas da vida, ver a realidade materializada para além do que é aparente.

Quando te tornas leitor de linhas, consegues amar e honrar qualquer ser, tempo, ou manifestação por mais vil que pareça, porque compreendes tudo o que aquela atitude comporta; curando na alma, a honra que qualquer ser comporta. Permitindo que esta cura e mudança no Ser, em ti, em ambos se materialize numa mudança abismal das características vivenciais.

Quando existe honra, não existem ilusões que toldem a visão, porque a honra, é uma forma de respeito e aceitação profunda, que permite que a verdade se manifeste.

A felicidade encerra em si a verdade do ser, a manifestação dessa verdade pressupõe a honra de tudo o que faz parte da estrutura do Ser.

Por: Filipa Fautino | omshantilx.com | filipa.faustino.angels@gmail.com

About Viver O Feminino

Partilhar conhecimentos que vão transformar a vida das mulheres, assim como, de todo o ambiente que as rodeia. Se procuras descobrir o que é ser mulher conectada à sua essência, ligada ao mais puro e natural de si mesma, este será o local onde te conectas a ti, onde descobrirás mais e mais sobre ti e as tuas mais variadas formas.

Deixe uma resposta